Doação de óvulos (ovodoação) ou de sêmen

Em geral, no Brasil, indivíduos ou casais homossexuais de mulheres ou de homens que querem engravidar devem recorrer à doação de óvulos ou de espermatozoides. De acordo com a resolução do CFM, homens e mulheres não podem ser remunerados pela doação de gametas, que é feita em anonimato tanto para doadores quanto receptores.1

Doação de sêmen

Ainda de acordo com o CFM, qualquer homem saudável pode fazer uma doação de sêmen. As características físicas do doador são registradas para que a(s) beneficiária(s) possam escolher uma carga genética parecida com a sua própria.1

Como falamos acima, a identidade do doador é sempre mantida em sigilo e não há remuneração pela doação.1

Doação de óvulos

Como as mulheres precisam passar por um tratamento prévio para a superestimulação e retirada dos óvulos, a maioria das doadoras já está em tratamento para engravidar quando coloca parte dos óvulos obtidos com o tratamento para doação.

Outra alternativa para casais de homens homoafetivos ou solteiros é a doação compartilhada de óvulos.1 Nesses casos, quem vai receber a doação de óvulos deve custear o tratamento de uma mulher que quer engravidar, mas não tem recursos para bancar o próprio tratamento. Ela, em contrapartida, doa metade de seus óvulos para o financiador do seu tratamento. Da mesma forma aqui, esse processo ocorre de forma anônima e não há transação monetária entre doadora e beneficiário.1

Assim como no caso da doação de sêmen, as características físicas da doadora (fenótipo) são anotadas e podem ser escolhidas pelo(s) receptor(es).1

Uso de óvulos próprios com mudança de útero

Casais de mulheres que querem engravidar também podem escolher se a gestação – após a fertilização in vitro – irá ocorrer no útero da mulher que retirou os óvulos ou de sua parceira, como uma forma de aumentar o envolvimento das duas no processo.1 Há também a possibilidade de tratamento para que a amamentação possa ser compartilhada! Bacana, não?

Onde encontrar mais informações?

Se depois de ler esse texto você ainda tem dúvidas (o que é MUITO normal), nossa recomendação é que você busque um médico especialista em fertilidade. A ajuda profissional é fundamental para que você entenda suas opções e saiba exatamente por onde começar. Visite o site da Sociedade Brasileira de Reprodução Assistida e encontre um especialista na sua cidade.

Referência

  1. Portal CFM. RESOLUÇÃO CFM Nº 2.013/13. Disponível em http://portal.cfm.org.br/images/PDF/resoluocfm%202013.2013.pdf. Acesso em 25 de fevereiro de 2018 às 18:37.
Conteúdos mais acessados