Sobre endometriose

Sobre a endometriose

A endometriose é bastante comum, principalmente entre mulheres de 30 a 40 anos.1,2 Ela ocorre quando o tecido que deveria se formar dentro do útero cresce fora dele – por exemplo: nos ovários, nas trompas, atrás do útero ou até mesmo na bexiga e em outros órgãos.3 Esse tecido que cresce e se acumula no lugar errado pode causar reações inflamatórias, sangrar e formar cicatrizes, além de provocar dores intensas e infertilidade em algumas mulheres.3

O diagnóstico precoce da endometriose é um passo importantíssimo para minimizar as chances de que a doença afete a capacidade reprodutiva das mulheres. Apesar disso, muitas pacientes não manifestam sintomas e não são diagnosticadas até que tenham alguma dificuldade para engravidar.3 Hoje não há cura para a endometriose, mas existem diferentes opções para tratar as dores e a infertilidade resultantes da doença.4

Embora ainda não se entenda completamente, a relação entre a endometriose e a infertilidade é grande. De 25% a 50% das mulheres inférteis têm endometriose, e de 30% a 50% das mulheres com endometriose são inférteis.5 Mas vale lembrar que já há tratamento para combater isso!4

Tratamento da infertilidade causada pela endometriose

A infertilidade causada pela endometriose é tratada de forma bastante individual, ou seja, o médico que acompanha a paciente considera uma série de fatores antes de determinar qual o melhor caminho a seguir. A idade da mulher, seu desejo de engravidar e a intensidade dos sintomas, por exemplo, são alguns pontos a serem considerados.4 O que é comum em todos os casos é que a endometriose deve ser encarada como uma condição crônica e seu tratamento pensado e administrado ao longo da vida.5

Dessa forma, suas expectativas de vida devem ficar claras para sua equipe médica, pois isso ajudará que a equipe planeje o melhor tratamento para você, considerando seus planos e eventualmente o desejo de uma gravidez, seja imediato ou no futuro.

Entre as possibilidades de tratamento para a endometriose está o tratamento cirúrgico (por exemplo laparoscopia) combinado com terapias pré e/ou pós-cirúrgicas para supressão hormonal. Embora possa ser mais efetivo no combate à dor do que a cirurgia apenas, não há evidências científicas de que esse tipo de tratamento possa ter um benefício significativo em combater a infertilidade.5 É preciso saber, também, que os hormônios que inibem a ovulação podem atrasar uma gravidez.4

Então, para quem tem endometriose e quer engravidar, o tratamento com a fertilização in vitro (FIV) pode ser o melhor caminho a seguir, seja depois da falha de outras terapias ou como primeira opção de tratamento (antes de qualquer tentativa de tratamento cirúrgico).5 Isso poderia evitar um atraso desnecessário no combate à infertilidade das mulheres com endometriose que sonham com a gravidez.5 Ao contrário dos hormônios que citamos anteriormente, que suprimem a ovulação, os hormônios usados como parte do tratamento da FIV estimulam a função ovariana.4

Há ainda outros aspectos que você e sua equipe médica devem considerar nas decisões sobre o tratamento, já que a realização de múltiplas cirurgias, especialmente aquelas para retirar cistos dos ovários, podem reduzir a função ovariana e dificultar o sucesso de uma futura fertilização in vitro.4

Por fim, antes mesmo de começar o tratamento é preciso ter uma conversa bem honesta com os médicos envolvidos no seu tratamento para entender as taxas de sucesso de uma FIV ou de qualquer outra opção terapêutica a ser seguida. Isso poderá te ajudar a lidar melhor com todo o processo do tratamento da infertilidade, que pode (ou não) ser longo.

A endometriose pode trazer um impacto profundo na qualidade de vida das mulheres5 e, por isso, médicos e cientistas do mundo todo buscam entender as melhores formas de diminuir as dores e melhorar a fertilidade das pacientes. Isso deverá resultar em melhores técnicas e maiores chances de gravidez para as mulheres com a doença!

Referências

  1. NICHD. Endometriosis. Disponível em https://www.nichd.nih.gov/health/topics/endometri/Pages/default.aspx. Acesso em 28/12/2017 às 23:14.http://www.oncoguia.org.br/conteudo/fertilidade-em-pacientes-com-cancer-de-testiculo/8751/247/. Acesso em 20/11/2017 às 11:05.
  2. NICHD. How many people are affected by or at risk for endometriosis? Disponível em https://www.nichd.nih.gov/health/topics/endometri/conditioninfo/Pages/a t-risk.aspx#increase. Acesso em 28/12/2017 às 23:12.
  3. NICHD. About Endometriosis. Disponível em https://www.nichd.nih.gov/health/topics/endometri/conditioninfo/Pages/default.aspx. Acesso em 28/12/2017 às 23:15.
  4. NICHD. What are the treatments for endometriosis? Disponível em https://www.nichd.nih.gov/health/topics/endometri/conditioninfo/Pages/treatment.aspx#relatedto. Acesso em 28/12/2017 às 23:05.
  5. Bulletti C, Coccia ME, Battistoni S, Borini A. Endometriosis and infertility. Journal of Assisted Reproduction and Genetics. 2010;27(8):441-447. doi:10.1007/s10815-010-9436-1.

Conteúdos mais acessados