Tratamento de fertilidade

Caso seu tratamento de fertilidade não esteja funcionando, ou caso você precise de ajuda mais avançada para engravidar, ainda há algumas opções disponíveis para você. Tratamentos de indução de ovulação (IO) e tecnologias de reprodução assistida (TRA) ajudaram milhões de mulheres a ter um bebê.2 Aqui você pode ter uma pequena introdução a uma variedade de tratamentos de fertilidade.

Indução de Ovulação (IO)3

• A IO é utilizada para induzir a maturação e liberação de, no mínimo, um óvulo. O óvulo poderá, então, ser fertilizado no corpo naturalmente, por meio de relação sexual, ou por meio da inseminação intrauterina (IIU).3

• Na IO, normalmente a mulher recebe citrato de clomifeno para estimular o crescimento de folículos. Caso isso não dê resultado, então o hormônio folículo-estimulante (FSH) e o hormônio luteinizante (LH) podem ser prescritos para impulsionar a maturação e a liberação do óvulo.3

Tecnologias de reprodução assistida (TRA)

Estímulo ovariano

• Estímulo ovariano é um tratamento de fertilidade para mulheres no qual os ovários são estimulados a produzir dois ou três óvulos, na esperança de que um desses amadureça e se torne adequado para fertilização. Isso torna o estímulo ovariano mais eficiente que a IO, já que mais óvulos podem ser coletados por ciclo.3

• O estímulo ovariano normalmente é utilizado em conjunto com a fertilização in vitro (FIV), a inseminação intrauterina (IIU) e com os ciclos de injeção intracitoplasmática de espermatozoide (ICSI).3

Inseminação intrauterina (IIU)

• Neste procedimento, espermatozoides de alta qualidade são colocados no colo do útero, por meio de um cateter fino, com o objetivo de ficar mais próximo ao óvulo.4

• Esse tratamento garante o encontro do espermatozoide com o óvulo na cavidade uterina e contorna qualquer efeito negativo do muco cervical sobre o espermatozoide, aumentando as chances de fertilização.4

Fertilização in vitro (FIV)5

• Após o estímulo hormonal feminino, espermatozoides e óvulos são coletados, combinados e fertilizados no laboratório da clínica de fertilidade, fora do corpo da mulher.5

• Qualquer embrião viável é, então, nutrido e desenvolvido em uma incubadora por até 6 dias, antes de ser transferido ao útero.5

Injeção intracitoplasmática de espermatozoide (ICSI)5

• Alguns pacientes que passam por FIV também passam por tratamento com ICSI, o qual envolve a injeção de um único espermatozoide diretamente em um óvulo disponível.5

• Este procedimento pode ser sugerido caso o homem possua uma contagem de espermatozoides extremamente baixa, baixa mobilidade e/ou qualidade de espermatozoides ou dutos de espermatozoide bloqueados, ou ainda caso esteja sendo utilizado um espermatozoide de um doador.5

• Qualquer embrião viável é, então, nutrido e desenvolvido em uma incubadora por até 6 dias, antes de ser transferido ao útero.5

Transferência intratubária de gametas4

• Este é um processo no qual o espermatozoide e um óvulo são combinados no laboratório da clínica de fertilidade.4

• O óvulo e o espermatozoide pré-combinados são, então, transferidos para as tubas uterinas da mulher.4

• Isso permite que a fertilização aconteça dentro do corpo da mulher.4

Transferência intratubária de zigotos6

• Este é um processo no qual o espermatozoide e o óvulo são combinados no laboratório da clínica de fertilidade.6

• Após a fertilização, um embrião extremamente precoce (conhecido como zigoto) é transferido para as tubas uterinas da mulher.6

Diagnóstico genético pré-implantacional (PGD)7,8

• Alguns casais possuem maior risco de ter um bebê com algum distúrbio genético, seja por motivos de hereditariedade ou por conta da idade do casal.7 O diagnóstico genético pré-implantacional (PGD) é uma técnica utilizada para testar as células do embrião em relação a quase 400 distúrbios genéticos para evitar que eles sejam transmitidos ao bebê.8

• O PGD pode ser utilizado com qualquer tratamento que utilize as TRA no qual embriões são desenvolvidos no laboratório.8


Qual procedimento e quando?

As informações abaixo detalham brevemente quem e o que está envolvido em cada um dos processos sobre os quais você acabou de ler.

Obs.: Os medicamentos devem ser adquiridos por meio de uma prescrição médica e o tratamento precisa ser acompanhado por um médico.

Indução de ovulação

• Profissional: ginecologista
• Medicamento: citrato de clomifeno
• Nível de tecnologia: nenhum
• Custo do tratamento: extremamente baixo

Indução intrauterina

• Profissionais: Fertileuta e andrologista
• Medicamento: FSH em baixas dosagens
• Nível de tecnologia: baixo
• Custo do tratamento: médio

Fertilização in vitro (FIV)/injeção intracitoplasmática de espermatozoide (ICSI)

• Profissionais: Fertileuta e andrologista
• Medicamentos: Gonadotrofinas
• Nível de tecnologia: alto
• Custo do tratamento: alto


Referências

  1. Ferraretti A, et al. Hum Reprod 2013;28(9):2318–23311.
  2. European Society of Human Reproduction and Embryology (ESHRE). ART fact sheet. Press information. Disponível em: new.eshre.eu/~/media/sitecore-files/Annual-meeting/Lisbon/ART-fact-sheet.pdf?la=en. Acessado em: Setembro de 20162.
  3. American Society for Reproductive Medicine (ASRM). Medications for inducing ovulation. A guide for patients. 2016. Disponível em: http://www.reproductivefacts.org/globalassets/rf/news-and-publications/bookletsfact-sheets/english-fact-sheets-and-info-booklets/booklet_medications_for_inducing_ovulation.pdf. Acessado em: Janeiro de 20083.
  4. Rowell P and Braude P. BMJ 2003;327(7418):799–8014.
  5. Braude P and Rowell P. BMJ 2003;327(7419):852–8555.
  6. Levran D, et al. Fertil Steril 1998;69(1):26–306.
  7. Vaiarelli A, et al. J Assist Reprod Genet 2016;33(10):1273–12787.
  8. Human Fertilisation and Embryology Authority (HFEA). Pre-implantation Genetic Diagnosis (PGD). Disponível em: https://www.hfea.gov.uk/treatments/embryo-testing-and-treatments-for-disease/pre-implantation-genetic-diagnosis-pgd/. Acessado em: Fevereiro de 20188.

Conteúdos mais acessados